Matou a denúncia do Dantas, a família, o país…e foi ao cinema?

Gabeira quer impedir candidatura de advogado ligado ao PCC

03h40 — N’O Globo: “O deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) defendeu ontem a retirada do nome do advogado José Cláudio Bravos da lista de pré-candidatos a deputado estadual pelo partido por São Paulo. Bravos disse que sua candidatura tem o apoio da facção criminosa que comandou atentados contra a polícia. — A minha posição é de que ele já é um ex-pré-candidato. O PV não tem restrição a quem luta pelos direitos dos presos no país, mas não aceita quem tem simpatia pelo crime organizado. Esse tipo de coisa enfraquece nossa posição de luta contra a insegurança no país — disse Gabeira. Ex-presidente da OAB em Marília (SP) e pai de um ex-agente penitenciário, Bravos afirmou que tem o apoio da facção desde que comandou um protesto com parentes de presos em frente à Secretaria de Administração Penitenciária, ano passado. Segundo investigações da polícia, a facção tem um projeto de eleger políticos para defender seus interesses. Gabeira disse que o PV não pode servir de instrumento para a quadrilha. Presidente nacional do PV, José Luiz Penna disse que foi criada uma Comissão de Ética para analisar a situação de Bravos.”

Direto da Primeira Leitura, com grifos meus, Gabeira diz o que eu gostaria de ouvir de muita gente importante: nada contra o sujeito ter direitos e deveres. Mas dizer que crime organizado tem direitos (e deveres) é simplesmente errado. Ponto.

Claudio
p.s. o título do post é uma homenagem ao velho SSoB, que achava que o problema maior estava apenas num lado do espectro ideológico. Sumiu e, honestamente, espero que não esteja em campanha :-)

Continuar lendo

Falhas (sérias) de governo

Primeiro, a Justiça não se faz sentir nem na porta do tribunal. Segundo, o tal “bloqueio de celulares” não adianta muito para o que se propõe.

Segurança Pública: tem um projeto bom, leva meu voto. Mantém o que existe, tô fora…

É sério. Quando eu falo em estudar “Economics of Defense” e “Economics of Conflict”, eu penso em amostras baseadas em países mais distantes. Digo, pensava…

Claudio

Continuar lendo